22 de jun de 2008

Eu sou a Pequena Miss Sunshine



É um filme do tipo "festa estranha com gente esquisita", mas traz sutis lições.

Será que estou correndo atrás do sonho certo?

Será que o sonho que busco realizar é meu mesmo ou me foi imposto e eu nem percebi, apossando-me dele como se fosse uma idéia original?
Quando desistir de correr atrás do sonho?

Atualmente, o ensinamento que chega até nós, seja vindo de livros de auto-ajuda, dos romances e até mesmo de algumas religiões é o de que você tem que ter um sonho, de preferência grande, e de que se deve lutar para realizá-lo com afinco, suportando sacrifícios, porque a recompensa só vem assim.

Você é medido pelo sonho que tem. E pelo modo que o realiza.

Achamos que somos especiais, fortes, determinados e eteceteras, mas, no fundo, só estamos realizando o que esperam de nós.

E o que esperamos de nós mesmos???

Não estou querendo dizer que não se deva ter objetivos, mas que, o mais importante é ter o objetivo certo!

O risco é realizar um sonho acreditando cegamente que foi sonhado por nós, mas na verdade, sonharam pra gente.

Nem sempre desistir é fraqueza.


-Fabiane Ponte-

9 de jun de 2008

Moça má

Quando ninguém está olhando,
A postura altiva
daquela moça má
dá lugar a um encurvado abraço em si mesma,
e ela pode enfim descansar a dureza do olhar
e põe-se a fitar o horizonte.



- Onde os que aqui deveriam estar me amando?
- Onde os que mandei ir, e se foram?
- Onde aquele que ainda não veio, e que quando vier jamais partirá?


Quando rumores se aproximam
Ela corre ligeira
e os pés outrora descalços
que leves pisavam o chão em brasa
Se apertam em sapatos de salto.

Só lhe resta a secreta esperança
de que o destino reserve
para o final dessa história encenada
um final feliz também para os vilões.

-Fabiane Ponte-

3 de jun de 2008

Do casulo ao jardim

Existem situações inteiras, ou pequenos momentos que se congelam na nossa mente.
É como se o tempo parasse. Nos deixam em suspense.
O problema, aliás, o problemão é que esse momento fica cristalizado só na nossa mente. Pro resto do mundo - inclusive para "aquela pessoa", o tempo continua correndo, e acelerado...
Ficamos alí, enraizados num fato que voou.
Contraditório? Muito!
Já disse uma vez aqui e repito:
Queria ter asas, e não raízes
Queria mais!
Queria ter asas de borboleta.
De casulo rompido, farfalar no jardim perfumado de uma alma fresca.
-Fabiane Ponte-