21 de set de 2007

Condenação de Perséfone


Primavera em mim
E Perséfone volto aos braços da Mãe
Não volto a mesma
Pois provei sementes de romã


Condenada
A ir e voltar


Cada descida provoca o desconforto
De explorar áreas ocultas de mim.
No escuro, me revelo
E me descubro
É Revolução.


Cada subida
Provoca o mesmo efeito da luz
Que ofusca os olhos que estiveram fechados
A princípio, nada é nítido
Tudo é disforme e os olhos doem
É Realidade.


Mas, aos poucos, a vida volta a apresentar
contornos familiares
É Rotina.

Nada prá sempre no mesmo lugar: Mulher.
Condenada e agraciada
A ser cíclica e lunar
A subir e descer
A ir e sempre voltar.


-Fabiane Ponte-

20 de set de 2007

Consultando Dicionários

Palavra Linda:
HAURIR

1. Tirar para fora de lugar profundo;
2. Esgotar;
3. Sorver;
4. Extrair, colher.

Hausto: Ato de haurir

É exatamente o que tenho feito com a minha vida.
Estou bem centrada na minha inconstância - não fujo dela e não a renego.
É a minha natureza, uma deusa Ártemis bem latente.

Cavando buracos na minha alma, eu descobri que quero ser o que sempre fui:
uma bruxa
uma poetisa
uma sonhadora
uma libertária

Pretendo viver essa fase de Rubedo intensamente!

Porque transformar-se é ser o que já era, sem precisar fazer força pra isso.
-Fabiane Ponte-